Em meio à pandemia, liga esportiva estudantil terá disputa virtua


A sexta edição da Liga Nescau, um dos principais campeonatos estudantis poliesportivos do país, se adaptou em razão da pandemia do novo coronavírus (covid-19 e vem ocorrendo desde o último dia 5 de forma online. A competição aberta a crianças e adolescentes, de 8 a 16 anos, vai até 12 de dezembro. O prazo de inscrição, que é gratuita, varia entre 17 de novembro e 1º de dezembro, conforme a modalidade.

“As crianças são filmadas fazendo as atividades propostas de acordo com a modalidade, uma situação corriqueira para a maioria, que já faz isso para postar em redes sociais, e enviam ao site. Temos uma comissão julgadora que vai avaliar segundo critérios pré-estabelecidos e informados a todos. Isso vale para esportes convencionais e adaptados. Os melhores avançam até a final”, explica Abner Bezerra, gerente de marketing da Nestlé Brasil, organizadora do evento.

O resultado de cada etapa será divulgado aos sábados. São 15 modalidades, sendo quatro adaptadas (futebol, basquete, balé e ginástica) e dois desafios abertos à família: um de dança (de salão ou passinho) e outro variado, abordando atividades esportivas ou recreativas. Os organizadores esperam envolver até 50 mil jovens no evento online. No ano passado, as disputas presenciais tiveram cerca de 13 mil participantes e ocorreram em três cidades: São Paulo, Recife e Porto Alegre.

Liga Nescau - edição 2019

Na edição do ano passado, o evento reuniu cerca de 13 mil participantes, nas cidades de São Paulo, Recife e Porto Alegre – edição 2019 – Divulgação/ZDL

Segundo Bezerra, a edição deste ano foi balizada em um estudo do C.Lab, laboratório interno de pesquisas da multinacional. Uma análise feita com 500 famílias, entre 29 de setembro e 1º de outubro, indicou que 72% das crianças e adolescentes não praticaram atividades físicas durante a pandemia, devido ao isolamento. Ao mesmo tempo, apontou que 73% dos jovens tinham costume de realizar exercícios ou esportes antes das mudanças de hábitos provocadas pelo novo coronavírus (covid-19).

“Isso indica o gosto por esporte e que eles precisam de estímulos para perpetuar esse estilo de vida saudável por meio do esporte”, conclui o gerente.



Fonte

Próximo Post